Sandra Bozza

Professora

  • Mestra em Ciências Sociais da Educação (Universidade Lusófona de Tecnologia e Humanidades – Lisboa/Portugal);
  • Especialista em Literatura Infantil (Universidade Santa Úrsula – RJ);
  • Professora de Pós-Graduação nas áreas de Letramento, Metodologia de Aprendizagem e Ensino da Escrita e Reflexões Práticas sobre Literatura Infantil.
O Trabalho com o Texto Literário: Uma Reflexão ainda Necessária
Público alvo: todos os profissionais de Educação Infantil e Fundamental I Ler e contar histórias são pré-requisitos para formar leitores. Porém o que pouco se tem refletido é o que se faz depois dessas atividades. O trabalho com o texto literário requer mediação adequada e propostas metodológicas que não deponham contra o prazer de ler e de sonhar. O curso objetiva formar professores leitores e que não utilizem a leitura como pretextos moralizadores ou para qualquer fim que não seja o prazer. Conteúdo: • Sensibilização dos docentes através de leitura de obra literária de qualidade elevada (vídeo de poema musicalizado, no qual três linguagens são utilizadas: vocal, instrumental e escrito). • Reflexão sobre procedimentos adequados e necessários para a introjeção do aspecto fundamental no trabalho com o texto literário. • Apresentação, através de análise de obra literária em vídeo), dos aspectos teóricos imprescindíveis no trabalho de formação do leitor literário. • o Construção coletiva do conceito de literalidade textual e da abordagem didática adequada no que se refere ao trabalho com literatura. • Abertura de espaço para questionamentos sobre as reflexões apresentadas. • Trabalho em grupo: análise de obras literárias com o objetivo de levantamento sobre conteúdos eminentemente literários: linguagem, ilustração, diagramação, recursos simbólicos, recursos estilísticos e intertextualidade. • Apresentação dos trabalhos e conclusão sobre todos os conceitos trabalhados.
A Importância da Leitura e da Escrita na Aprendizagem de Todas as Áreas do Conhecimento
Público alvo: Profissionais que atuam no 4º e 5º anos do Ensino Fundamental I Em uma sociedade letrada como a que vivemos, é imprescindível que a escola garanta o desenvolvimento da competência linguística dos alunos e que os professores de todas as áreas do conhecimento percebam a importância dessas duas práticas (leitura e escrita) para a aquisição efetiva dos conteúdos de todas as disciplinas. O objetivo desta formação é subsidiar os educadorespara um trabalho eficiente com o texto e com a forma de sintetizar ideias e de depreender sentido do que é lido. Conteúdo: • Reflexão sobre a diferença entre ensino e aprendizagem da linguagem escrita (DVD com prática de escola pública de crianças trabalhando com texto narrativo). • Experimentação de leitura e a necessidade de aspectos como ritmo, fluência e entonação para a depreensão da significação das ideias do texto (em texto informativo). • Levantamento dos descritores da Prova Brasil e o PISA (Programa Internacional Sistemático de Avaliação) que mais exigem competências das crianças brasileiras. • Reflexão sobre os conteúdos mais importantes na depreensão do sentido do texto lido: unidade estrutural (gênero textual), unidade temática(sobre o que o texto discorre), paragrafação (ideias básicas), expansão de ideias (ideias que detalhem, enriquecem e pormenorizam as ideias básicas do texto), coesão (recursos linguísticos na construção textual que visam evitar a repetição desnecessária de palavras, expressões e/ou informações), sinais de pontuação e argumentação. • Abertura de espaço para questionamentos sobre as reflexões apresentadas. • Apresentação e reflexão sobre demais aspectos linguísticos a serem sistematizados a partir da leitura e da análise do texto: concordância verbal, concordância nominal, uso adequado de letras maiúsculas, ortografia e outros. • Conclusão do trabalho com vistas à depreensão do conceito de que todo trabalho com a leitura se dá através do uso de habilidades e competências exigidas não só na Prova Brasil e no PISA, mas, sobretudo, na sociedade: relatar, inferir, analisar, comunicar-se com clareza e coerência, sintetizar, utilizar a linguagem adequadamente em diferentes contextos.
Alfabetizar Cantando: A Ludicidade a Serviço da Leitura e da Escrita
Público alvo: Profissionais dos três primeiros anos do Ensino Fundamental I Acreditamos que é possível inserir a criança no processo de letramento sem encerrar sua infância com atividades mecânicas de escrita ou de rotinas pesadas e exercícios sem significação para as mesmas. Assim, aproveitando o que elas mais gostam e sabem fazer, o trabalho reflexivo com textos que possibilitem ritmos e rimas, brincadeiras e jogos desenvolverá habilidades como ouvir, falar, ler e escrever. Isso determinará a ampliação das competências linguísticas tanto na linguagem escrita como na oral. Conteúdo: • Sensibilização do público,através de vídeos, de exemplo de como uma criança poderia iniciar o ensino fundamental e a forma como deveria concluir o terceiro ano no tocante à leitura. • Aferição dos conhecimentos do público alvo sobre o conceito de escrita: a escrita é uma forma complexa de representação de segunda ordem, isto é, a escrita não representa diretamente o mundo físico. Ela representa a fala, que, por sua vez, representa o a realidade. • Introdução sobre a importância de se trabalhar para a construção, com a criança, dedois conceitos o que é a língua escrita e para que se utiliza a escrita. • Levantamento de hipóteses com o público alvo sobre as funções que a escrita tem na sociedade letrada (prática escrita e oral). • Enquadramento do que as professoras e professores levantaram nas quatro funções da escrita: registro, comunicação, lazer e orientação (ou organização). • Apresentação de música para a que as professoras e professores proponham possíveis trabalhos com este tipo de texto. • Demonstração dos conteúdos de Língua Portuguesa sendo trabalhados a partis de músicas. • Trabalho em grupos para que o público alvo elabore encaminhamento metodológico com músicas de seu próprio acervo cultural (regionais, populares, específicas utilizadas em brincadeiras e jogos por aquela localidade). • Apresentação de alguns trabalhos para a verificação dos encaminhamentos adequados do trabalho com o texto.
Encaminhando e Avaliando a Produção Textual
Público alvo: Todos os profissionais do Ensino Fundamental I O curso intenciona demonstrar que os resultados de uma boa produção textual advêm do encaminhamento que se faz no momento da proposta da atividade. Os gêneros textuais e os critérios de avaliação são apresentados de forma a garantir qualidade e coesão nos textos produzidos em sala de aula. Conteúdo: • Amostra de produções textuais de crianças em processo de aquisição da Língua Escrita. • Classificação das produções apresentadas para posterior classificação quanto às funções que a escrita possui na sociedade: registro, comunicação, lazer e orientação (ou organização). • Apresentação de proposta de produção com função social, em que haja quatro elementos indispensáveis para tal prática: função da escrita,gênero textual, tema e interlocutor. • Discussão com o público sobre procedência desta prática no município ou na escola. • Apresentação de textos para reconhecimento por parte do público alvo de textos para a classificação de sua função social. • Reflexão sobre a necessidade da prática intensa com o texto coletivo e a consequência desta prática na produção individual da criança. • Apresentação de estruturas textuais para cada gênero a ser produzido. • Elaboração, por parte do público alvo, de propostas de produção textual com função social, explicitando os quatro elementos indispensáveis para tal prática: função da escrita,gênero textual, tema e interlocutor. • Apresentação das propostas elaboradas pelo grupo e conclusão com as necessidades ou não de avanço por aquela comunidade escolar.
Refletindo sobre a Sistematização Ortográfica
Público alvo: Todos os profissionais do Ensino Fundamental I e II Para ensinar e ter sucesso no processo de aquisição da ortografia é necessário que a mediação seja realizada por parceiros mais experientes, que não apenas empreguem metodologia adequada, mas que, sobretudo, sejam escritores competentes. O propósito desse curso é subsidiar profissionais nos requisitos básicos relativos à organização do sistema ortográfico, refletindo-se sobre o fato de que não é uma verdade linguística que cada som é representado por apenas uma letra. As práticas de treino, memorização e a simples correção do erro ortográfico não têm garantido que crianças e adolescentes concluam o Ensino Fundamental I e II competentes nesse quesito da aquisição da Língua Escrita. Assim, este curso visa subsidiar a todos no que tange aos encaminhamentos metodológicos de sistematização ortográfica e nos aspectos concernentes àformação do sistema gráfico da língua portuguesa no Brasil, ao número de relações entre letra e som que são permanentes, às combinações que podem ser explicadas para as crianças e aquelas que são chamadas de arbitrárias, ou seja, que não há como decorar, pois só serão apreendidas no processo de mediação competente de leitura e de produção textual com função social. Conteúdo: • Ditado para o público alvo objetivando a percepção da variação de representatividade entre sons e letras em variadas palavras. • Proposta de produção textual, em grupos, com número reduzido de letras para ser utilizado. • Apresentação da organização do Sistema Ortográfico da Língua Portuguesa no Brasil. • Explicitação da origem das palavras utilizadas em nossa língua e a consequente diferença na grafia das mesmas. • Análise de erros ortográficos em produções três textuais de crianças e classificação de tais equívocos segundo critérios da formação das palavras na língua. • Análise e categorização de erros ortográficos em produções textuais. • Apresentação de propostas de encaminhamento metodológico para superação das dificuldades encontradas. • Produção textual (em grupo) com o objetivo de registrar os conhecimentos consolidados ou construídos no curso.
Alfabetização e Letramento: um Caminho sem Volta
Explicitar como se dá o processo de alfabetização sem passar pelo treino das famílias silábicas é um dos grandes desafios de nossas escolas. O trabalho objetiva refletir sobre todos os conteúdos que envolvem o processo de alfabetização, bem como demonstrar práticas necessárias para a consolidação da escrita ortográfica.
O Trabalho com o Texto Literário: uma Reflexão Ainda Necessária
Ler e contar histórias são pré-requisitos para formar leitores. Porém, o que pouco se tem refletido é o que se faz depois dessas atividades. O trabalho com o texto literário requer mediação adequada e propostas metodológicas que não deponham contra o prazer de ler e de sonhar. O curso (ou palestra) objetiva formar professores(as) leitores(as) e que não utilizem a leitura como pretextos moralizadores ou para qualquer fim que não seja o prazer.
Educação Infantil: Qual seu Papel Perante o Processo de Letramento?
O papel da Educação Infantil como tempo e espaço de inserção da criança no mundo da escrita, sem que o treino de letras e palavras seja o objetivo maior dessa fase de desenvolvimento. A palestra objetiva provocar reflexões sobre a função pedagógica na Educação Infantil.
Maturidade e Alfabetização: Qual a Idade Adequada para Aprender a Ler?
Ainda há muito que se esclarecer a respeito da idade adequada para a aquisição da escrita. Faz-se necessário aprofundar a reflexão sobre as diferentes perspectivas do desenvolvimento e a formação da inteligência do ser humano. Intenciona-se destacar a importância do desenvolvimento das capacidades superiores do cérebro para que a criança compreenda o complexo sistema que a Língua Escrita representa.
Alfabetizar Cantando: a Ludicidade a Serviço da Leitura e da Escrita
Acreditamos que é possível inserir a criança no processo de letramento sem encerrar sua infância com atividades mecânicas de escrita, rotinas pesadas e exercícios sem significação para as mesmas. Assim, aproveitando o que elas mais gostam e sabem fazer, o trabalho reflexivo com textos que possibilitem ritmos e rimas, brincadeiras e jogos desenvolverá habilidades como ouvir, falar, ler e escrever. Isso determinará a ampliação das competências linguísticas tanto na linguagem escrita como na oral.
A Importância da Leitura e da Escrita no Ensino de Todas as Áreas do Conhecimento.
Em uma sociedade letrada como a que vivemos, é imprescindível que a escola garanta o desenvolvimento da competência linguística das crianças e/ou adolescentes e que os professores(as) de todas as áreas do conhecimento percebam a importância dessas duas práticas (leitura e escrita) para a aquisição efetiva dos conteúdos de todas as disciplinas. O objetivo desta palestra é subsidiar o profissional da educação para um trabalho eficiente com o texto e com a forma de sintetizar ideias e de depreender sentido do que é lido.
Encaminhando e Avaliando a Produção Textual
A palestra intenciona demonstrar que os resultados de uma boa produção textual advêm do encaminhamento que se faz no momento da proposta da atividade. Os gêneros textuais e os critérios de avaliação são apresentados de forma a garantir qualidade e coesão nos textos produzidos em sala de aula.
O Ensino da Leitura e a Prova Brasil: O Que já Fazemos e o que Precisamos Fazer
Baseada nas mais modernas tendências linguísticas e pedagógicas respaldadas pelo MEC e já apontadas pela Base Nacional Curricular Comum, a palestra abordará a ênfase dada na relação entre alfabetização e letramento ao longo de todo o Ensino Fundamental I. Será refletido sobre a necessidade do trabalho com o texto como forma de sistematizar os conteúdos de Língua Portuguesa e, ao mesmo tempo, consolidar as habilidades avaliadas a partir dos exames nacionais e estaduais como a ANA, A PROVA BRASIL, ENEM e o SAEB. Todo o encaminhamento metodológico segue a perspectiva das avaliações externas e tem como objetivo maior a formação de crianças leitoras e produtoras de bons textos escritos.
Leitura Para Quem Ensina
Para ensinar e ter sucesso no processo de aprendizagem da leitura é necessário que a mediação seja realizada por parceiros mais experientes, que não apenas empreguem metodologia adequada, mas que, sobretudo, sejam leitoras e leitores competentes. O propósito desse curso é subsidiar profissionais nos requisitos básicos de depreensão de sentido de diferentes linguagens, aprofundando suas capacidades de inferência e sensibilizando-os para a necessidade de refinamento no gosto pela leitura.
Produção Textual para Professores
Embora o processo de produção escrita esteja intrinsicamente relacionado à competência leitora, escrever com clareza, objetividade e coerência não é algo que se faça com tranquilidade. Esse curso (ou palestra) objetiva auxiliar a organização da escrita pessoal de cada profissional, fornecendo roteiros e propostas que podem melhorar a estruturação textual, bem como o respeito às características de cada gênero a ser produzido.