Jussara Magrin

Professora

Professora universitária na área de Pedagogia na Faculdade Bagozzi em Curitiba Pr. Foi Funcionária da Rede Municipal de Ensino de Curitiba Pr durante anos, atuando nos seguimentos da Educação Infantil, Ensino Fundamental, Educação Especial, EJA , coordenação de área e Gestão Escolar. Pós graduada em Educação na área de Cognição e Aprendizagem, Psicopedagogia, Psicomotricidade e metodologia do Ensino da Arte , da Educação Infantil, História e Cultura Afro Brasileira e de Contação de História. Professora de pós graduação na área de Educação Especial, Psicopedagogia, Educação do Campo, Educação em Tempo Integral, Educação Infantil, Ensino da Arte, literatura e Contação de História. Escritora de Material Didático na área do Ensino da Arte para Educação Infantil, Ensino Fundamental, Ensino Médio e EJA. Palestrante, conferencista e formadora de professores atuando principalmente nas áreas do Ensino da Arte, Educação Infantil, Educação Especial, Desenvolvimento da Aprendizagem, Inteligência Emocional e relacionamentos Interpessoais, Cultura e Multiculturalismo.

Psicomotricidade Aplicada ao Cotidiano Escolar
A psicomotricidade é a ciência e ou área do conhecimento que busca superar as concepções biológicas e normativas da motricidade humana, servindo como instrumento na construção do conhecimento e do eixo corporal, de forma educativa ou preventiva, diante das dificuldades de aprendizagem. Se torna assim uma ferramenta indispensável no processo de desenvolvimento e aprendizagem.
Brincando e Aprendendo: A Importância do Lúdico na Educação Infantil
O lúdico em forma de jogo, brincadeiras e canções como instrumento e prática na efetivação do conhecimento, socialização e formação integral da criança pequena.
O Ensino da Arte Construindo o Conhecimento
A Arte articulando e fortalecendo o conhecimento e visão de mundo do educando, através do estudo e compreensão da produção humana nas diversas linguagens artísticas, no decorrer da história, de forma teórica e prática buscando desenvolver a criatividade, o senso crítico e estético.
O Relacionamento Interpessoal na Educação
Aceitar o diferente, buscar a igualdade, a fraternidade e a camaradagem constituem a efetivação da cidadania e esta, como direito universal, é a que assegura a todos a educação, a boa convivência e o bem comum.
A Criatividade Transitando pela Educação
A atual proposta curricular da educação exige ações que busquem a modernidade, ambiente propicio e cordial como também conteúdos significativos que reflitam a multidiversidade e multiplicidade cultural neste mundo globalizado e em constante transformação. Para isto devemos colocar a criatividade em ação. Trabalhar a imaginação do ser humano que atua na educação é primordial para encararmos esses novos desafios. Precisamos de pessoas que quebrem paradigmas, sejam arrojados e dinamizem novos rumos para a educação. Pois ser criativo é uma competência que nasce com a criatura humana, basta desenvolvermos.
A Subjetividade e os Desafios de um Gestor Criativo
Nos últimos anos, o mundo passou por diversas mudanças sociais, econômicas, demográficas e tecnológicas, que influenciam diretamente na educação. Dentro desse contexto as escolas passaram a enfrentar o desafio de formar cidadãos que saibam viver num ambiente mais competitivo onde o senso crítico e o conhecimento universal e democrático se tornem ferramentas que assegurarão seu sucesso e felicidade nesta nova sociedade deste terceiro milênio. O gestor é peça chave da articulação deste conhecimento e das relações com seus pares no ambiente escolar. De sua criatividade e capacidade de articulação depende o sucesso desta conquista.
Enfrentando os Desafios do Primeiro Ano do Ensino Fundamental
Ao garantir, por lei, que todas as crianças frequentem a escola a partir dos seis anos de idade no primeiro ano, a alfabetização e todo o seu processo passa a envolver crianças de uma faixa etária menor que deve ser respeitada enquanto sujeito que aprende dentro de suas especificidades e peculiaridades.Os professores precisam perceber-se em uma nova era pedagógica onde ele e suas práticas devem buscar inovação, empenho, atualização para ir além da visão simplista de apenas um ano a mais no Ensino Fundamental. Mais importante que a preocupação em alfabetizar tais crianças, é pensar na concepção que temos de alfabetização e letramento, como também a preocupação e o compromisso dos professores em garantir uma metodologia que respeite a criança que brinca e possa assim estimular a oralidade, a escrita e a leitura por meio de atividades coerentes a sua faixa etária.
A Cultura Afro-Brasileira e Indígena Enriquecendo Conhecimentos
A escola como um espaço democrático e privilegiado de formação, como também responsável pela organização, transmissão e socialização do conhecimento e da cultura, deve garantir que os saberes étnico-raciais de nosso país, sejam trabalhados e apontados como eixo importante no curriculum e na prática pedagógica diária nas escolas. Desta forma busca-se garantir a formação de seres humanos desprovidos de racismos, preconceitos e discriminação com relação a todas as pessoas as quais ela convive e se relaciona no seu dia a dia. Para isso precisamos conhecer, discutir e colocar em prática a legislação e a nova BNCC ensinando a História e cultura Afro Brasileira e indígena, com a intenção de combater o modelo econômico e social que é excludente, com a função de acabar com o modo reduzido de tratar a contribuição dos afrodescendentes e indígenas em nossa cultura e história.
Inteligência Emocional e Educação: Relação cada vez Mais Necessária
A inteligência emocional é muito mais que um conjunto de abordagens e estratégias que servem para identificar e administrar melhor as nossas próprias emoções. Falamos, acima de tudo, de adquirir uma verdadeira consciência emocional com a qual poder construir relacionamentos mais sólidos e respeitosos, além de ser uma chave de poder com a qual nos sentimos mais seguros, bem-sucedidos e felizes. O espaço escolar deve ser recheado de boas relações para que o ensino e a aprendizagem aconteçam em harmonia e sucesso.
Educação da Personalidade: a Importância da Escola na Construção de Projetos de Vida
A personalidade é uma competência humana e também a característica de cada indivíduo que organiza os sistemas físicos, fisiológicos, psíquicos e morais de forma que, conectados, determinam a individualidade de cada pessoa. Ela se forma ao longo da vida, desde o seu primeiro respirar, e é influenciada pelas pessoas que o cercam, como também pelos ambientes onde convive. Os pais, os professores e profissionais da educação que atuam com os sujeitos que aprendem, tem grande responsabilidade sobre este processo de formação. Cabe lhes refletir sobre suas atitudes no lidar com este sujeito, pois da formação inconsciente do caráter, dos sentimentos, do psicológico, do temperamento, da inteligência e de outros, é que teremos pessoas melhores para devolver ao mundo.
Educando para Inclusão, com Razão e Emoção
Considerar a inclusão como parte da vida e como direito de todo ser humano são fatos inquestionáveis e legais. O artigo 208 da Constituição brasileira especifica que é dever do Estado garantir “atendimento educacional especializado aos portadores de deficiência, preferencialmente na rede regular de ensino”, condição que também consta no artigo 54 do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). O diferencial é a forma, a metodologia, as ações pedagógicas e relacionais que todos os profissionais envolvidos com a pessoa incluída devem priorizar em suas práticas numa escola. O conhecimento e a capacitação sobre a educação inclusiva deve ser direcionada para a reflexão da escola para todos e muito mais.Razão e emoção não no foco do antagonismo dos termos, mas sim numa proposta educativa capaz de se sustentar no conhecimento como razão e no acolhimento com emoção. Promover aInclusão com equidade, pois toda criança tem direito a aprender, mas nem todas aprendem da mesma forma. Eis nosso desafio!
A Arte de Educar Bem: Opção ou Compromisso?
O compromisso em promover uma educação bem sucedida, onde os sujeitos em formação, nela inseridos, possam tornar se cidadãos plenos de conhecimento e sucesso pessoal e profissional, depende do caráter de cada cidadão que cumpre e honra a sua responsabilidade de bem ensinar.A escola que queremos, acreditamos e merecemos depende de nós. Educar bem é uma atitude ética, um compromisso de aproximação da melhor versão de nós mesmo, pois é a partir daí que tudo acontece! Optar em educar bem priorizando a inclusão e o respeito a forma de aprender de cada um, nos faz profissionais eficientes e competentes. Afinal, opção ou compromisso?