Déborah de Araujo Maia

Professora

Déborah de Araujo Maia, profissional da área educacional há 35 anos com pesquisas na reabilitação cognitiva aos processos de aprendizagem da Educação Infantil ao Ensino Superior. Graduada em Estudos Sociais, Pedagogia com especialização em Psicopedagogia e na área de gestão, especialização em Liderança Estratégica. Ampliando seus estudos é mestranda em Psicologia do Desenvolvimento, Coaching Vocacional e profissional da área da Educação Inclusiva com cursos teóricos e práticos. Consultora de estágios para jovens com ou sem deficiências. Professora em cursos de graduação de Pedagogia, Letras, Educação Inclusiva. Na Educação básica, atuou como professora alfabetizadora, coordenadora, orientadora educacional e diretora pedagógica. Em editoras como gerente editorial, foi responsável por organizar coleções didáticas e paradidáticas em todos os segmentos de ensino. Atualmente, atua como psicopedagoga clínica e institucional, coordena o núcleo de atendimento ao aluno com dificuldades de aprendizagem, utilizando protocolos de atendimento PEI (Plano de Ensino Individualizado). Coordena jovens com Síndrome de Down em cursos livres visando a empregabilidade. Com esta caminhada, ministra palestras, cursos, workshops de jogos e materiais lúdicos trocando experiências em formação de professores. É autora de Coleções para a Primeira Infância, livros técnicos e projetos de literatura.

TEMAS PARA CURSOS E PALESTRAS DESTINADOS AOS PROFESSORES, EQUIPE DIRETIVA DA EDUCAÇÃO INFANTIL AO ENSINO FUNDAMENTAL - PALESTRAS E CURSOS (2h a 6h)

NOVAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS: BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) NA EDUCAÇÃO INFANTIL. VAMOS REPENSAR NOSSA PRÁTICA.
  • Como a criança Aprende? Um olhar neuropsicopedagógico
  • O que temos e sugestões de novas práticas pedagógicas
  • O caminhar da Educação Infantil ao Ensino Fundamental.
  • PROFESSOR COMO GESTOR DA SALA DE AULA

    UTILIZANDO PRÁTICAS PEDAGÓGICAS INCLUSIVAS – QUEM É MEU? COMO ELE APRENDE?

    • Como a aprendizagem vai acontecendo? Uma questão biopsicossocial e neuronal.
    • Práticas pedagógicas no dia a dia com imagens e exposição de materiais lúdicos utilizados para alunos de inclusão.
    • O acompanhamento infantil e os reflexos no desenvolvimento humano.
    • Os protocolos para acompanhamento da utilização de jogos.
    • O PEI (Plano de Ensino Individualizado) para o sucesso do seu planejamento.

    QUEM É MEU ALUNO? COMO ELE APRENDE?

    REFLEXÕES E PESQUISAS PARA AS CRIANÇAS PEQUENAS.

     

    • Dos primeiros meses aos 3 anos
    • Como a aprendizagem vai acontecendo? Uma questão biopsicossocial e neuronal
    • Práticas pedagógicas no dia a dia com exposição de materiais sensoriais e jogos
    • O acompanhamento infantil e os reflexos no desenvolvimento humano

    OS ESPAÇOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • A linha do tempo da história da Educação
  • Reflexões: O que é Infância
  • De mãos dadas o cuidar e o educar
  • A Rotina interativa
  • Práticas pedagógicas no dia a dia com exposição de materiais lúdicos
  • O acompanhamento infantil e os reflexos no desenvolvimento humano.
  • APRENDER BRINCANDO OS 5 SENTIDOS NA ESCOLA E NA VIDA
  • Os cinco sentidos no desenvolvimento humano.
  • A aprendizagem na vida prática e na vida acadêmica
  • Práticas pedagógicas dentro e fora da escola.
  • QUEM É MEU ALUNO DO ENSINO FUNDAMENTAL? COMO ACONTECE A APRENDIZAGEM NESTA FAIXA ETÁRIA? O QUE ELE PRECISA PARA CHEGAR AO ENSINO MÉDIO?
  • Como a aprendizagem vai acontecendo? Uma questão biopsicossocial e neuronal.
  • Do desenvolvimento infantil ao desenvolvimento humano.
  • O processo mágico da escrita.
  • As diferentes formas de leitura.
  • Práticas pedagógicas no dia a dia com exposição de materiais estruturados.
  • Desejos e preferências da infância.
  • Do desenvolvimento infantil aos reflexos no desenvolvimento humano.
  • O PROFESSOR DE HOJE E DO FUTURO – MUDANÇAS DE PERFIS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA.
  • O perfil do educador atual
  • Mudando paradigmas
  • A formação dos professores para o atendimento de alunos típicos e atípicos
  • Quem é o aluno de inclusão?
  • O que são dificuldades, transtornos de aprendizagem e de comportamento?
  • A dislexia, dislalia e a disortografia trabalhadas na escola
  • A legislação atual e o papel do professor investigador
  • Orientações para observar, registrar e sugerir encaminhamentos ao aluno que apresentar dificuldades de aprendizagem.
  • ALFABETIZAR POR MEIO DA FOTOGRAFIA

    UM PROJETO VISOMOTOR. ORGANIZAÇÃO DO LIVRO FOTOS E PALAVRAS. UMA POSSIBILIDADE A MAIS NO DIA A DIA DA ESCOLA ENVOLVENDO EQUIPAMENTOS DA TECNOLOGIA.

     

    • Leitura de imagem do que temos nos espaços de convivência da escola
    • Apresentação e orientações de uso dos equipamentos: máquina fotográfica, celular ou tablete
    • Orientação do que fotografar dentro ou fora da escola
    • Organização de um material com atividades interativas onde as imagens são produzidas pelos alunos.

    AS ÁREAS CURRICULARES NA ESCOLA E NA VIDA – REVENDO OS EIXOS
  • As áreas curriculares, os conteúdos significativos dentro e fora da escola
  • Sequência didática nas áreas do conhecimento
  • Pintando o sete com a arte. Envolvendo a releitura das obras, dramatização, musicalização, em todo o processo educativo
  • A tecnologia favorecendo a pesquisa e a relação dos conteúdos no cenário social.
  • EM CADA CANTO UM CONTO
  • A literatura infantil para imaginar, recriar e praticar
  • Acessórios como fantasias, fantoches e dedoches serão apresentados
  • Textos coletivos lúdicos
  • Tipologias textuais
  • Brincadeiras folclóricas cantadas inseridas em contos
  • Projetos de literatura, organização de acessórios e cenários.
  • PARCERIA FAMÍLIA E ESCOLA
  • A sociedade e as composições familiares
  • A diversidade familiar
  • Relações da família com os profissionais da escola
  • Participação em reuniões e eventos
  • Dicas para as famílias acompanharem o estudo de seus filhos no dia a dia escolar
  • Prova e agora? Como somar nos estudos?
  • POSSIBILIDADES AVALIATIVAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL
  • Dialogando sobre como observar a criança no seu contexto geral de desenvolvimento para a organização de um instrumento avaliativo
  • Expor quais são os critérios de uma observação, com foco em um olhar investigativo frente aos transtornos globais de desenvolvimento, TEA e outras comorbidades
  • Periodicidade da entrega da avaliação aos familiares e de como apresentá-las.
  • AIXA SENSORIAL E MATERIAIS LÚDICOS NA APRENDIZAGEM.
  • Apresentação de como a criança aprende focando a importância dos sentidos no processo de aprendizagem
  • Caixa de areia
  • Caixa das sensações
  • Construtores gráficos
  • Histórico da utilização de materiais lúdicos na aprendizagem
  • Apresentação de brinquedos antigos, canções, rimas, parlendas resgatando a diversidade e aspectos culturais no processo da aprendizagem.
  • CANTAR E ENCANTAR – MOVIMENTO E AÇÃO NO PROCESSO EDUCATIVO.
  • Apresentação de músicas, brincadeiras cantadas para o aprendizado da escrita
  • A música como instrumento facilitador no desenvolvimento da linguagem e na leitura
  • movimentos e encenações com materiais e acessórios para o desenvolvimento global da criança.
  • SUSTENTABILIDADE NA ESCOLA E NA VIDA – UM PROJETO CIENTÍFICO
  • O ABC na horta e na paisagem
  • O Meio ambiente nas áreas do conhecimento
  • Experimentações de 5 a 17 anos
  • A Gastronomia na escola.
  • UMA PROPOSTA LÚDICA EM TODAS AS ÁREAS DO CONHECIMENTO E NA DIVISÃO DE TAREFAS.
  • Por meio de jogos com peças de cores e tamanhos diferentes utilizados em todas as áreas do conhecimento, o aluno trabalha questões visomotoras e divisão de tarefas pedagógicas e sociais.
  • Há um documento para registro utilizado pelo aluno e professor.
  • CURSOS DE FORMAÇÃO CONTINUADA (40h a 120h)

    PARA ALUNOS

    ENSINO MÉDIO TERMINANDO. VAMOS CONVERSAR SOBRE INTERESSES PROFISSIONAIS? O COACHING VOCACIONAL NA ESCOLA.
  • Dialogando sobre habilidades e interesses com os alunos.
  • Organização de palestras para pais e alunos.
  • Palestras com profissionais da comunidade sobre profissões.
  • Pesquisas nas mídias sobre empreendedorismo e profissões.
  • Visitas em Feiras, empresas e locais dos interesses profissionais dos alunos.
  • Informações das Instituições que contemplem os cursos desejados pelos alunos.
  • Material impresso para leitura.
  • Mapas de estudos.
  • Olhar para a saúde do vestibulando.
  • Relações familiares com os vestibulandos.
  • PROJETO AUTORES

    Vamos conhecer a história da literatura, criar e registrar

    • A escolha é sua. Os caminhos da autoria de um livro ou de uma HQ (História em quadrinhos)
    • Escolha da área e do tema
    • Os bastidores (Público, editoração, análise linguística, iconografia, direitos autorais, projeto gráfico, diagramação, encaminhamento gráfico, tiragem, lançamento)
    • Aplicabilidade da obra na sociedade.
    SUSTENTABILIDADE NA ESCOLA E NA VIDA – UM PROJETO CIENTÍFICO
  • ABC na horta e na paisagem
  • O Meio ambiente nas áreas do conhecimento
  • Experimentações de 5 a 17 anos
  • A Gastronomia na escola.
  • CURSOS PARA PROFESSORES (Cursos de Curta duração de 8h ou de formação continuada para 6 meses com 120h).

    VAMOS ORGANIZAR UMA SALA MULTIFUNCIONAL?
  • Reflexão sobre a legislação vigente.
  • Materiais para alunos de inclusão que devem fazer parte da sala e serem utilizados na flexibilização do currículo.
  • Sugestões para a criação de brinquedos e jogos inclusivos com materiais reciclados.
  • Formação para a utilização dos materiais e protocolos de registros do manuseio e interação dos alunos.
  • NOVAS POLÍTICAS EDUCACIONAIS: BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR (BNCC) NA EDUCAÇÃO INFANTIL.

    VAMOS REPENSAR NOSSA PRÁTICA.

    • Como a criança Aprende? Um olhar neuropsicopedagógico.
    • O que temos e sugestões de novas práticas pedagógicas.
    • O caminhar da Educação Infantil ao Ensino Fundamental.
    SUSTENTABILIDADE NA ESCOLA E NA VIDA – UM PROJETO CIENTÍFICO
  • O ABC na horta e na paisagem.
  • O Meio ambiente nas áreas do conhecimento.
  • Experimentações de 5 a 17 anos.
  • A Gastronomia na escola.
  • POSSIBILIDADES AVALIATIVAS NO CONTEXTO INCLUSIVO
  • Dialogando sobre como observar a criança no seu contexto geral de desenvolvimento para a organização de um instrumento avaliativo.
  • Expor quais são os critérios de uma observação, com foco em um olhar investigativo frente aos transtornos globais de desenvolvimento, TEA e outras comorbidades
  • Periodicidade da entrega da avaliação aos familiares e de como apresentar.
  • FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR
  • Dialogando sobre o material didático utilizado e como a criança com dificuldades de aprendizagem está interagindo com ele.
  • Quem é o meu aluno inclusivo.
  • As dificuldades na linguagem e nas noções lógicas.
  • Apresentação de sugestões para a flexibilização curricular.
  • Organização do PEI – Plano de Ensino Individualizado.
  • Periodicidade da entrega da avaliação aos familiares e de como apresentar.
  • ALFABETIZAÇÃO ESCRITA E NÚMÉRICA NA SÍNDROME DE DOWN
  • O que é Prontidão?
  • Recursos – Adaptando Materiais
  • O Currículo HWT
  • Materiais Lúdicos em madeira na formação de letras e números
  • Materiais impressos das letras e números
  • Discussão de casos
  • Periodicidade da entrega do acompanhamento aos pais dentro do documento PEI.
  • O PROFESSOR ATUAL É AQUELE QUE INVESTIGA E ATUA.
  • O perfil do educador atual
  • Mudando paradigmas
  • A formação dos professores para o atendimento de alunos típicos e atípicos
  • Quem é o aluno de inclusão?
  • O que são dificuldades, transtornos de aprendizagem e de comportamento?
  • A dislexia, dislalia e a disortografia trabalhadas na escola
  • A legislação atual e o papel do professor investigador
  • Orientações para observar, registrar e sugerir encaminhamentos ao aluno que apresentar dificuldades de aprendizagem.
  • TEMAS PARA PALESTRAS DIRECIONADAS AOS EDUCADORES DE TODOS OS SEGMENTOS DE ENSINO.

    NOSSA ESCOLA INCLUSIVA – DIAGNÓSTICOS - FLEXIBILIZAÇÃO CURRICULAR E PROTOCOLOS DE ATENDIMENTO.
    (Materiais estruturados para serem trabalhados com crianças com TEA (Transtorno do Espectro autista e com SD (Síndrome de DOWN).

    Depois de muitas pesquisas sobre o Transtorno do Espectro Autista os estudos atuais revelam a necessidade de um Diagóstico Precoce. Para tais observações há determinados quesitos que devem ser observados e direcionados para intervenções.

    A escola é um dos ambientes para este diagnóstico assim os profissionais da escola devem fazer parte de diálogos que retratam o tema. Apesar dos avanços genéticos em relação ao TEA, as bases genéticas associadas aos fenótipos ainda permanecem desconhecidas. Dentre estas pesquisas o que foi constatado é que o transtorno manifesta-se mais no sexo masculino. A palestra aborda estas pesquisas enfocando jogos e atividades que promovem o desenvolvimento cognitivo e afetivo. O jogo como interação social no processo de construção dos conhecimentos de forma prazerosa.

    NOVO ANO! PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO,

     SEJAM O PROTAGONISTA DA SUA HISTÓRIA.

    RENOVANDO MEU SER E MINHAS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS.

    Por meio de vídeos, músicas, instrumentos músicas é exposto aos professores e gestores uma palestra motivacional. A palestra enfoca a importância do trabalho de todos na sociedade com um olhar para seu interior e que seu bem estar, reflete em seu aluno e colegas de profissão. Reflexão da importância do equilíbrio para a mediação de conhecimentos que um novo ano irá solicitar.

    PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NA EDUCAÇÃO VOLTADAS AO MERCADO DE TRABALHO. A PSICOEDUCAÇÃO.

    Frente ao mercado de trabalho algumas habilidades emocionais e acadêmicas devem ser desenvolvidas para que nosso aluno seja bem sucedido no Ensino Superior,  em entrevistas de estágio e no mercado de trabalho. Como psicopedagoga de jovens e adultos acompanho estas questões dentro da Instituição de Ensino e no mercado de trabalho assim por meio de vídeos, gráficos entrevistas o tema será exposto com fundamentação e vivências.

    O PROFESSOR DE HOJE E DO FUTURO – MUDANÇAS DE PERFIS PARA UMA EDUCAÇÃO INCLUSIVA.
  • O perfil do educador atual, mudando paradigmas
  • A formação dos professores para o atendimento de alunos típicos e atípicos
  • Quem é o aluno de inclusão?
  • O que são dificuldades, transtornos de aprendizagem e de comportamento?
  • A dislexia, dislalia e a disortografia trabalhadas na escola
  • A legislação atual e o papel do professor investigador
  • Orientações para observar, registrar e sugerir encaminhamentos ao aluno que apresentar dificuldades de aprendizagem.